Total de visualizações de página

terça-feira, 11 de abril de 2017

DE TODOS OS MEMBROS AVL,PARA NOSSA QUERIDA PRESIDENTE


O que dizer de uma fortaleza? Sangue e lágrimas lavam o limbo das pedras e ela continua lá. Protetora da poesia, bálsamo para alma dos poetas... Ao longe, seu olhar busca o tempo da janela sem cortinas, de onde observa e comanda cada verso, cada poeta que vislumbra pela janela da magia e faz multiplicar o tempo.

Olha atentamente até ver o brilho das estrelas poetas e poemas. Então, sempre com uma palavra de carinho dirigida a cada um, vê-se a sorrir para a lua que, pela janela espreita,num tímido raio prateado e deixa entrar um lindo e faceiro raio de luz. Não a luz moribunda de um lampião que agoniza ao longe, mas a luz do emocionante poema, do poeta apaixonado, da poesia enamorada.

Só temos a dizer: - Te admiramos poetisa e amiga, Maria Ivoneide de Melo




Não gostaria... de te esquecer!

Prometo ...
te esquecer
não o desejo
as algemas do querer
fatigam
aceleram demasiadamente
o coração
libera desmesuradamente
morfina
endorfina, adrenalina
suores e odores
apressa
viagem no tempo
sem tempo
pra ficar...
certamente esse
dia chegará...
anuviará sentimentos
sentirás minha falta
Viverás dias de angústias
buscarás no meu pensamento
o teu aconchego
e não mais lá estarás.
Prometo ...


Maria Ivoneide J de Melo.







FELIZ NAVEGAR
No rosto vincado por gota salgada,
Senhora do tempo preciosa e inquieta, 
Ao rumo dos sonhos navega encantada,
Carrega no barco o valor do poeta, 

Qual vento veloz faz a onda nascer, 
E rema submersa aos açoites mais duros, 
C’a força da alma faz acontecer, 
E’vita que o verso se entalhe no impuro.

E quando o sol foge em cruel negativa, 
E o barco parece dançar a deriva,
Retoma com garra o feliz navegar. 

E assim a viagem percorre na glória, 
Bordada com ouro da grande vitória, 
Cunhada nas linhas do seu verbo amar

De Elair Cabral, em nome de todos os Confrades e Confreiras AVL, para nossa doce e querida presidente Maria Ivoneide Juvino de Melo - Te amamos




Mimos
_Amado, quem és ?
_Podes dizer-me ?
_Sim , com prazer !
Sou quem te almeja
amante dos teus carinhos
que faz a estrela invejar a lu a
a maré o mar
és brisa dos enamorados                                                                                      
és meu encanto
do meu coração perfuma m'alma
dá beleza aos campos
_ahhh
_Assim fico dengosa
querendo colo e teus beijos
e tantos mais !


Maria Ivoneide Juvino de melo





Imergiu-se no mar eu ainda nele !

Irrequieto devaneio na lucidez

coração lampeja versos de amor...
um rogo num sussurro, sôfrego
roga-me ...
apetece-me esquecê-lo ?

Carinhos bobos beijos acesos 

no fogo da paixão ...

excede odores marcantes 

a avassaladora paixão que teima

não terminar ...

Apetece-me esquecer quem fez-se mar

e no (a)mar desaguou na imensidão

além mar e se perdeu de mim ...ainda eu nele ?!

Maria Ivoneide Juvino de Melo










Ode ao crepúsculo

Menina dócil no corpo de mulher,

crepuscula o horizonte

encontra-se no linear da inocência

do olhar felino sobeja magia


entremeia o rosa e a vida 

tensa é densa

presume o amanhecer

do cordel faz o viver

do versar seu alimento

do mistério goza paixões

que deslizam generosamente

escorregam para dá voz ao coração!

Maria Ivoneide J de Melo.







OBRIGADA POR TUDO

NÓS TE AMAMOS MARIA IVONEIDE JUVINO DE MELO


































segunda-feira, 10 de abril de 2017


É de extrema importância que se congratule e louve com glamour as atividades acadêmicas, o tempo dedicado e o amor com que todos tratam a nossa literatura e poesia. E por isso, nós da diretoria AVL conferimos-lhes nota 10 "com louvor". Um louvor de reconhecimento público do seu trabalho. Parabéns!.

Sy Moise






RIO TEJO

Há um deslumbramento no que vejo,
Quando espraio em ti o meu olhar!
Ver-te feliz correndo para o mar,
Meu adorado e belo rio Tejo!


Há danças de gaivotas pelo ar!
Há barcos enfeitados em cortejo!
E há nos corpos quentes o desejo,
De mergulhar em ti, se refrescar…

Banhas Toledo, Santarém, Lisboa,
Culminas num estuário imponente,
Como que festejando a chegada…

No cais, vive saudosa, uma canoa,
Contando com vaidade a toda a gente,
Que ainda está por ti enamorada!...

José Manuel Cabrita Neves


É de extrema importância que se congratule e louve com glamour as atividades acadêmicas, o tempo dedicado e o amor com que todos tratam a nossa literatura e poesia. E por isso, nós da diretoria AVL conferimos-lhes nota 10 "com louvor". Um louvor de reconhecimento público do seu trabalho. Parabéns!.

Sy Mois















É de extrema importância que se congratule e louve com glamour as atividades acadêmicas, o tempo dedicado e o amor com que todos tratam a nossa literatura e poesia. E por isso, nós da diretoria AVL conferimos-lhes nota 10 "com louvor". Um louvor de reconhecimento público do seu trabalho. Parabéns!.

Sy Moises






O livro da vida


As letras embaralham-se todas.
Umas formam palavras, outras não.
E é o livro da vida, assim,
aberto para mim, sem pudores...

As frases embaralham-se todas.
São lápides que construíram por
cima das cabeças desses mortos,
cobertos do pó do que já passou...

As linhas embaralham-se todas.
Elas não podem formar as páginas;
seriam conterrâneas nossas, sim,
mas noutra dimensão, noutro plano...

As obras embaralham-se todas.
Não tem mais significado nenhum,
a eternidade não as quer
e nem os homens, fartos de tudo...

Mauricio Duarte








É de extrema importância que se congratule e louve com glamour as atividades acadêmicas, o tempo dedicado e o amor com que todos tratam a nossa literatura e poesia. E por isso, nós da diretoria AVL conferimos-lhes nota 10 "com louvor". Um louvor de reconhecimento público do seu trabalho. Parabéns!.

Sy Moises



AINDA
Por muito tempo ainda
Nos desencontraremos aflitos
Nas profundas mais sombrias
Da mais crassa ignorância
E a informação fundamental
Argamassa imprescindível
Para o diálogo aberto
Para o debate fraterno
Para a união inadiável
E para a luta urgentíssima
Jaz inerte sob o peso fascinante
Da mídia tecnologizada
E a pouca vontade que se apossou de muitos
Após o temporal de maldades
Disfarçado de altruísmo
Distribui um clima de tédio e euforia
E cada dia é vivido
Como estranha sinfonia
Em louvor à agonia.


Imagem do Google





É de extrema importância que se congratule e louve com glamour as atividades acadêmicas, o tempo dedicado e o amor com que todos tratam a nossa literatura e poesia. E por isso, nós da diretoria AVL conferimos-lhes nota 10 "com louvor". Um louvor de reconhecimento público do seu trabalho. Parabéns!.

Sy Moises




CORAGEM...
*


(Soneto em verso hendecassilábico)
*
Coragem? Que é dela se, manipulada,
Me sinto sondada, moldada, invadida
No que à minha vida concerne e, num nada,
Me vejo humilhada, presa e sem saída?
*

Calo a voz dorida, e assim, controlada,
Em vez de indomada carne aberta em f`rida,
Desisto, vencida qual chama apagada,
Da que foi gerada nos pastos da vida...
*

Esta, de sumida, soa-me abafada,
Ou desafinada e é triste e vencida
Que mal é ouvida quando amordaçada
*

Por mão precavida. Solto-a sussurrada,
Em vez de, exaltada, protestar esvaída
Na força incontida que me foi roubada...
*

Maria João Brito de Sousa